Um pouco Sobre a França

Quando pensamos na França, a primeira cidade que nos vem a mente para visitar é Paris. Não é a toa, a cidade-luz é considerada uma das mais bonitas do mundo, devido à sua arquitetura magnífica e suas atrações turísticas incríveis, como a Torre Eiffel. E, por esses motivos, ela é hoje a capital que mais recebe turistas no mundo todo e em qualquer época do ano. Mas, neste artigo não iremos falar apenas de Paris, mas também dos outros cantinhos da França que merecem a devida atenção caso você vá fazer um tour por lá. Vamos lá!

Primeiro, Paris!

frança

Paris, cidade-luz, cidade dos românticos apaixonados e dotada dos lugares mais lindos para se conhecer no mundo. A capital da França é um lugar realmente imperdível e quem vai pra Europa precisa realmente passar por lá. A cidade abriga as mentes mais brilhantes do mundo da arte, da moda e da cultura. Por isso, além de inúmeras paisagens lindas e monumentos maravilhosos para visitar, como a conhecida Torre Eiffel, Paris ainda é palco de espetáculos incríveis, cafés charmosos e exposições imperdíveis. Por isso, anote: se passar pela cidade dos apaixonados, não se esqueça de reservar ao menos quatro dias para conhece-la a fundo, não se esquecendo dos pontos mais concorridos, como os museus e parques e dos menos conhecidos mas também valiosos, como os bares e restaurantes dos arredores.

Nice

A quinta maior cidade da França, Nice, fica na Riviera Francesa e é um charme à parte. Dotada de belíssimas praias e museus incríveis, ela merece ser conhecida tanto quanto a capital. Seu clima é sempre de sol, com raros dias nublados e possui uma estrutura turística incrível. Vale a pena conhecer!

Lyon

Lyon tem um valor histórico muito interessante de se conhecer. Ela foi fundada pelos Romanos e é uma cidade patrimônio. Tem lugares antigos super preservadores e para os amantes de cultura, ela é um prato-cheio. Além disso, é uma cidade dotada de restaurantes incríveis e uma potência industrial. Quem for passar pela França e se interessar por assuntos distintos, precisa conhecer Lyon.

Saint Paul de Vence

Saint Paul de Vence

Nossa última dica fica para a graciosa Saint Paul de Vence. É uma vila tipicamente francesa, com um ar charmoso e apaixonado, ideal para quem está acompanhado de alguém especial ou pra quem é a apaixonado por arte. A cidade conta com A Fondation Maeght Modern Art Museum, um lugar que, por si só, já é uma obra-prima. O museu abriga dezenas de esculturas e promove exposições o ano todo. Além disso, toda a arquitetura da vila é apaixonante. Vale a pena se hospedar na região e viver o clima francês na sua essência.

A França é muito mais do que apenas Paris. Se for viajar, tome nota desses destinos e programe-se para conhecer este romântico país, com a vantagem de sair de lá com muito mais cultura e bagagem histórica do que chegou. E a vantagem é que a maioria dessas cidades são próximas e possuem infra-estrutura adequada para receber os turistas da melhor maneira possível.

O Idioma Francês

Diferente do que se imagina, o Francês não é um idioma restrito à França, mas também à algumas de suas ex-colônia africanas, como Senegal e Costa do Marfim e alguns outros países da Europa, como Bélgica. Além disso, na América do Norte e na América do Sul, algumas províncias também tem o Francês como idioma principal. Ela é, também, a língua oficial de trabalho das Nações Unidas e é lecionada praticamente em todos os países da Europa e, embora não seja oficial na maioria deles, o povo costuma ter algum conhecimento dela. Não é um idioma muito difícil de se aprender, apesar de algumas pessoas apresentarem dificuldade na pronúncia, já que ele difere um pouco do Inglês e até mesmo do Espanhol.

História do Francês

O idioma Francês pertence à família indo-européia. Quando Júlio César conquistou o território da França no século I a.C., a língua celta foi abandonada e uma espécie de dialeto foi introduzido no local. Ele foi evoluindo até que, no início do século XVII, François de Malherbe passou a usar o francês como norma em suas poesias. Depois, durante o reinado de Luís XIV, o francês chegou ao ápice de sua história, se tornando o idioma oficial da França, incluindo o uso para fins diplomáticos.

A necessidade do Idioma

O Francês é o segundo idioma mais falado no meio corporativo. Isso significa que tê-lo no currículo é um enorme diferencial para conseguir uma boa vaga de emprego ou melhorar sua posição no mercado de trabalho. Esse fato se explica devido a quantidade de países que utilizam a língua seja oficialmente ou até mesmo como segunda opção. Como dissemos no primeiro tópico, em diversos lugares o Francês se faz presente, tornando-o muito útil para comunicação entre empresas multinacionais, por exemplo. Por isso, se deseja aprender uma outra língua além do recomendado Inglês, talvez seja a hora de investir na francesa. Além de útil, pode-se considera-la uma das mais charmosas do mundo e relativamente parecida com o português.

Nível de dificuldade

Não podemos dizer que o Francês seja um idioma fácil de aprender, devido à sua pronúncia diferenciada. Porém, a nível de comparação, podemos afirmar que ele é muito mais simples do que as línguas orientes, por exemplo. Fora isso, é preciso citar que temos algumas palavras bem parecidas com o idioma, o que facilita o aprendizado. Muitos professores afirmam que a maior dificuldade está na conversação, já a parte escrita costuma levar menos tempo para ser assimilada. Porém, o recomendado é ao menos dois anos de aulas para uma boa base.

Melhor forma de aprender Francês

Não tem como fugir, a melhor saída para aprender um novo idioma – no caso de quem não pode realizar um intercâmbio – é frequentando aulas regulares por um período de tempo considerável. Mas, outras atitudes podem ajudar, como escutar músicas na língua em que está aprendendo e assistir a filmes com legendas. Com a internet, vale a dica de tentar conhecer pessoas do país que o idioma é mais falado, assim treinar fica mais fácil.

 

Educação na França

A Educação Francesa é dividida de forma muito parecida com a do Brasil, geralmente em três partes: école, que seria uma espécie de primário;, collège, o ensino fundamental e lycée, o ensino médio. Essas etapas vão de 6 a 16 anos, sendo obrigatória e geralmente gratuitas. Porém, assim como no Brasil, existe ensino privado na França, que geralmente é voltado para escolas católicas. Isso porque a educação pública no país é totalmente laica e não promove ensino religioso de nenhuma espécie. Os pais podem aprender de tudo até como fazer tiaras para bebê.

O maternelle

maternelleÉ importante citar que antes dos 6 anos, existe a opção da criança frequentar o maternelle, que é como nosso maternal, onde ela aprenderá a se comunicar e terá encontros sociais. Porém, essa fase não é obrigatória e fica a critério dos pais inserirem os não seus filhos ao ambiente escolar nesta idade.

A école

Nessa fase, que vai dos 6 aos 11 anos, as crianças têm aulas de manhã até o fim da tarde, além de atividades extra-curriculares. Isso ajuda os pais que trabalham, evitando que precisem deixar os filhos com babás. Inicia-se alguns ensinos básicos, como história e matemática, algo muito parecido com a estrutura primária brasileira.

College

Nessa fase, que não precisa de prova para que o aluno ingresse, começam a ser lecionadas outras disciplinas mais específicas como francês, matemática, história e geografia, educação cívica, ciências da vida e da terra, tecnologia, artes plásticas, música, educação física, e física-química. São disciplinas preparatórias para o ingresso ao lycée.

Lycée

Equivalente ao ensino médio brasileiro, o lycée tem uma diferença. Em determinado ano, os alunos podem escolher se desejam entrar no mercado de trabalho e estudar disciplinas específicas. Pode-se também ter algum tipo de curso técnico, de acordo com a escolha do estudante. No último ano, uma espécie de vestibular é dado aos estudantes para que ingressem no ensino superior.  Essa prova se chama Baccalauréat.

Ensino Superior

O Ensino superior Francês é bem parecido com o Brasileiro, sendo dividido em Graduação, que dura cerca de quatro anos, mestrado, que dura dois anos e doutorado, que dura três anos. A diferença principal é que a prova de ingresso não engloba todas as áreas de ensino, sendo totalmente específica para a área em que será feita a Universidade.

Conclusão

O ensino francês é bem parecido com o brasileiro na estrutura, com diferenças apenas no ensino médio, onde o aluno passa a estudar disciplinas voltadas à carreira que irá escolher. Porém, pode-se dizer que o ensino público no país é de grande qualidade e praticamente se iguala com o particular, diferenciando no aspecto religioso e nas atividades extra-curriculares. Já o ensino primário e fundamental é bastante variado e fornece disciplinas parecidas com as que conhecemos por aqui.

O ensino universitário também é bastante similar ao nosso, com a diferença que o primeiro nível, que seria equivalente a graduação, também pode ser atingido através de cursos técnicos, dependendo da área pretendida. Já os níveis de mestrado e doutorado possuem as mesmas características que conhecemos aqui e com basicamente a mesa duração.